quinta-feira, agosto 05, 2010

Passos

Tela de Eliane @emrismael www.corearte.com
A distância, o silêncio:
configuraram-se como presentes.
A alma sente, mas cala-se.
Aprende, assim, a conviver consigo.
Conecto-me e sorrio. Naturalmente.
Há verdade no meu sentir. Imenso.
Não há vazio, mas um sentido saudável.
Contar comigo é uma dádiva.
Abandono o querer, consciente de mim.
É a mim que toco agora.
Pergunto-me. Ainda não sei,
mas ouço respostas.
Com ajuda das palavras, construo-me.
Preparo-me. Pressinto o que está por vir.
O entorno, às vezes, me assusta,
porque tudo é novo.
Nesse cenário, só reconheço a mim mesma.
Tudo é novidade.
Agora é preciso só ser.
Não é solidão o que sinto, mas coragem.
Passos firmes.
Não vacilo. Busco dentro.
Sou eu mesma que me guio.
Não é momento de partilha, mas de mergulho profundo.
Gostosa e inédita sensação.

4 comentários:

Eliane (www.corearte.com) disse...

Olá querida Mônica! Adorei a sua poesia!
É isso mesmo! Todos nós precisamos ter passos firmes e sermos corajosos para enfrentarmos as adversidades vida. E principalmente, o que é mais difícil (na minha opinião), é o auto conhecimento, para nos aprofundarmos em nosso ser e tentarmos a cada dia nos tornar melhor!
Beijos e continue sempre!

Mônica disse...

Obrigada pelo incentivo, mas nem me sinto confiante de chamar as palavras de poesia... são palavras que brotam numa aspirante a poeta! Bjs e parabéns pelo seu trabalho. Gosto de ver suas telas no Coisas de Valor. Bj

Patrícia Gonçalves disse...

Linda, gostei muito, faça mais vezes!Poesia revelação são as melhores, as que tocam fundo!

Vá lá ler os posts antigos, o do inverno interno e estações!

Beijo grande!

Silvio Freire disse...

Verso e prosa, prosa e verso, tanto faz. Adorável como sempre.
É bom te ver assim.

Postar um comentário

Compartilhe o que você pensa sobre o que acabou de ler! Ficarei feliz em podermos "conversar" um pouco!

Web Statistics