terça-feira, junho 29, 2010

Certeza de viver

Certezas adiantam de que?
Nada é certo.
Tudo muda.
Num instante, a esperança;
no outro, a decepção, o desencanto;
mais adiante, esperança revisitada.
Não adianta...
O melhor é não esperar,
nem ter certezas,
mas viver.

Pois é, ninguém coloca rédeas na vida. E, se conseguimos colocar cabrestos e domá-la, ela deixa de ser vida. O bom mesmo é perceber que nunca estamos sós, por mais difícil que pareça aquele trecho do caminho. Parece auto-ajuda? Pra mim é a realidade, muitas vezes virtual. Seres humanos nem sempre caem do céu quando a gente precisa. Às vezes, é preciso pedir. E não é tudo, também temos que estar disponíveis para perceber quando aquela energia que vai se somar à nossa naquele momento de necessidade vier de onde menos esperamos. Agradeço amorosamente aos amigos que, real ou virtualmente, cruzaram o meu caminho hoje.

5 comentários:

Patrícia Gonçalves disse...

Legal, vale pra mim!!!

Adorei, seres humanos não caem do céu (rsrsr), imagine se caíssem...

Eh moça, roda viva, roda a vida, roda...

bjs

Daguimar disse...

Existem pessoas que mesmo sem perceber trazem a paz por onde passam,você é uma delas...
Beijoss

LP Coach disse...

Estava eu indo para Gotemburgo, na Suécia, de carro alugado no aeroporto muito distante da cidade, totalmente perdido depois de 18 horas de vôo; de ter errado a entrada de Gotemburgo e ter ido em direção a Oslo na Noruega; detalhe, depois de ter tido todas as bagagens estraviadas em Paris. Chovia torrencialmente. A minha esposa estava em pânico. As placas de sinalização da estrada tinham 80 % de consoantes e eu não conseguia saber onde era o retorno para Suécia. Até que encostei o carro no acostamento. Pedi a Deus que me acalmasse e me desse uma luz do que deveria fazer. Foi então que,um carro parou na minha frente e deu ré até se aproximar bastante da meu carro. Um homem de uns 35 anos desceu do carro. A minha esposa gritou, ele vai nos assaltar. E eu disse para ela que tinhamos muito pouco o que ser roubados. O homem se dirigiu até a minha janela e perguntou se precisava de ajuda ? eu mostrei a anotação do local onde desejávamos ir, um tal de Sannasculash( algo parecido com isso), onde encontraria as minhas filhas que estavam representando o Brasil numa competição de ginática rítmica. Foi então que ele me disse: siga-me. Segui aquele homem por mais de trinta minutos, até que ele parou e apontou para um prédio. Ele apontou e foi embora, simplesmente assim. Não tive chance de agradecer a ele. Obviamente, agradeci aos céus por ter me enviado aquele anjo da guarda naquela momento de desespero. Acredite, eles caem do céu em pleno viaduto junto com a chuva grossa.
Bjs

Mônica disse...

Patrícia, de acordo com meu amigo querido aí de cima, o Luciano, eles caem do céu sim... rsrs Acho q precisamos acreditar nisso!
Daguimar, você já é uma pessoa especial na minha vida, sempre tão carinhosa e atenta! Obrigada!
O meu carinho sincero pra vocês. Pra mim, vcs cairam do céu! :)

Patrícia Gonçalves disse...

Mônica, que legal, adorei saber, agora de manhã, que as pessoas podem cair do céu quando a gente precisa!

Adorei ler o relato do Luciano!

beijos nesta linda manhã de sábado!

Postar um comentário

Compartilhe o que você pensa sobre o que acabou de ler! Ficarei feliz em podermos "conversar" um pouco!

Web Statistics