domingo, junho 27, 2010

Formigas não se comovem com os obstáculos, mas...

Fiquei olhando as formigas. O ir e vir monótono, constante, determinado. Era uma fila longa, uniforme, onde uma sucedia à outra, cada qual levando seu quinhão de coisas para o formigueiro. Não sabia o que as esperava lá dentro da montanha de terra, mas, por certo, havia alguém. Cada pedaço de folha ou corpo de inseto devia ter um propósito muito definido, caso contrário elas não fariam o sacrifício enorme de carregar todo aquele peso continuamente.
A mesma fila que entrava, saía. Nunca conseguiria saber se eram as mesmas, que, sem descanso, seguiam ordens, ou se eram outras, que já haviam descansado numa espécie de ante-sala para, depois de algum tempo, prosseguir na lida. Resolvi intervir. Não aguentava mais aquela monotonia sem fim e o silêncio do enorme formigueiro. Coloquei um grande obstáculo naquele caminho sem graça, pelo menos pra mim. Era um tijolo de concreto que encontrei num terreno baldio ao lado de casa. Não machuquei nenhuma criatura, mas senti um certo prazer ao vê-las tontas sem saber o que fazer diante do “meu” obstáculo.
E agora? Vamos ver como se comportam diante do inesperado. Continuei a observar. Demoraram um pouco, atordoadas, mas logo acharam um jeito de continuar o caminho. Contornaram o obstáculo, ajustaram um pouco a rota, e seguiram em seu vai-e-vem, levando suas “coisas” pro buraco de terra, que, ao fim do dia, deviam chamar de lar.
Moral da história? De repente a conclusão óbvia me parece muito chata. Não sou formiga. Não nasci para andar atrás dos outros e não quero aproveitar os tijolos pra voltar a fazer o mesmo percurso, a mesma coisa, seguindo as mesmas pessoas. Se o Universo diverte-se colocando tijolos no meu caminho, com certeza não será pra me ver agindo como formiga. Pronto!

2 comentários:

Patrícia Gonçalves disse...

Adorei, gostei muito!!!

A moral poderia ser outra tipo, contorne o obstáculo, não deixe que o acaso se intrometa, siga a sua missão de vida.

Mas gostei mais do seu final, não és formiga, não nasceu para andar atrás dos outros, nem fazer o mesmo percurso.

Parabéns!!!!

Agora, se não és formiga, que bicho és? rsrsr

beijo grande linda

P.S - Obrigada pela visita, tá aprendendo!!! rsrs

LP Coach disse...

As formigas operárias seguem em frente obstinadas, contornam obstáculos, não desistem nunca, porque esta é a missão delas. Elas tem um firme propósito.Felizmente o mundo é feito de diferentes espécies. Você e as cigarras são tão importantes para o equilíbrio do sistema quanto as formigas.
LP Coach

Postar um comentário

Compartilhe o que você pensa sobre o que acabou de ler! Ficarei feliz em podermos "conversar" um pouco!

Web Statistics