domingo, janeiro 16, 2011

Vivo ou morto?

"Declaro-me vivo!" A frase foi postada no Facebook, por um amigo muito querido. Não me causou estranheza, afinal, tanto eu quanto ele acreditamos no poder das declarações. Só pra exemplificar: há três meses resolvi testar esse poder com a minha TPM e declaro, todos os meses, quando os sintomas surgem, que eu estou livre dela. Há dias em que minha crença ativa o poder da declaração, mas, há outros, em que nada acontece. Continuo tentando e aprendendo. É sempre uma forma de me conhecer melhor.
No caso da declaração do meu amigo, o que me chamou atenção foi o número de comentários, após o post. Vários conhecidos escreveram mensagens declarando-se igualmente vivos, ou, como eu, convidando a uma celebração por essa vida. Naquele dia, pensei: “qual a necessidade que temos de nos declararmos vivos?”. Estamos vivos, pois não? Registro que meu primeiro impulso ao post do amigo foi dizer-lhe que eu nunca pensei que ele estivesse morto.
Acontece que vivo ou morto não é uma só uma questão de sinais vitais. Nossa referência, aqui, é ao estado em que nos encontramos diante da vida, determinado sempre por nossas escolhas – conscientes ou não. Então, “mortos” seriam aquelas pessoas que parecem adormecidas ou vivem como zumbis. Não sentem o prazer de viver, o pulsar de vida singular que move cada um de nós. Assím, só porque vivemos, muitas vezes, à semelhança de mortos, inconscientes de nosso presente e de nossas emoções, é que precisamos nos lembrar de declarar: “Estamos vivos, sim!”
E vamos tratar de aproveitar, porque, falando de sinais vitais, aqueles que dão conta de que estamos biologicamente vivos, ainda que sejamos incapazes de sentir a alegria da vida, eles podem sumir a qualquer hora. Basta olhar em volta e ver o que está acontecendo a muitas pessoas. Portanto não deixe nada depois. Ame, perdoe, emocione-se, compartilhe, abrace, beije... seja feliz. Declaro-me viva também, e, com muita alegria, compartilho esse post com você!

3 comentários:

MMarilene disse...

Tb estou viva!
Temos que acordar tdos os dias e declarar: Estou viva SIMMM....vou amar, perdoar, emocionar, compartilhar, beijar.
Adorei!
Tb estou viva!

Christina Castilho disse...

É incrível, mas declarar-se vivo é um imperativo diário... sinais vitais são sinais que o corpo funciona, mas a vida plena é uma intenção do espírito. Há poucos meses postei a mesma frase no Twitter, inspirada por um texto indígena que tem circulado pela rede. Um índio quechua, chamado Chamalu, faz uma declaração de vida e termina seu texto justamente com essa frase: "DECLARO-ME VIVO!" Vale a pena conferir o texto completo. Pode ser encontrado em vários blogs. Segue o link de um deles: http://desenvolvendoaconsciencia.blogspot.com/2009/04/declaro-me-vivo.html
Tem uma versão em vídeo tb bacana em: http://www.slideboom.com/presentations/78048/Declaro-me-vivo

Helinha disse...

Que bom poder declarar isso: Estou vivo!

Porque, infelizmente, muitas pessoas estão sobrevivendo, mas vivendo mesmo, não sei...

Como a Christina Castilho, também li o texto atribuído a Chamalu e a mensagem ali contida mexeu muito comigo... Imediatamente lembrei do texto quando li sua postagem!

Acredito no poder das palavras, das energias positivas, no poder da sugestão... Vou começar a fazer umas declarações pra minha TPM também... rsrs

Adorei a postagem!

Beijos!!

Postar um comentário

Compartilhe o que você pensa sobre o que acabou de ler! Ficarei feliz em podermos "conversar" um pouco!

Web Statistics