domingo, outubro 03, 2010

“Mãe, você vai pro cinema sozinha? Que coisa mais sem graça...”

Desde minha adolescência vou a cinemas sozinha. Era muito difícil arranjar companhia pra todos os filmes que eu queria ver. E, naquela época, eram quase todos mesmo. Os meninos ainda acham estranho, mas ninguém queria ver “Comer, rezar e amar” comigo. Ainda bem. Saí do cinema com a certeza de que, naquele momento, eu era a minha melhor companhia. Distribuía sorrisos, de tanta felicidade.
Tudo bem que tinha o Javier Bardem, impecável com uma aparência de bad boy e um jeitinho “mais doce impossível”. Mas não era por isso que eu sorria! O motivo era muito mais nobre, pelo menos pra mim. Ganhei o livro logo que ele foi publicado no Brasil. Durante a leitura, chorei muito. A identificação foi imediata, as angústias da escritora eram as minhas. A frase inicial do livro ecoava na minha cabeça. Não sabia quem era, o que queria, para onde ia... A única certeza que tinha é que havia algo errado e há muito tempo.
Ao ver o filme, não derramei uma lágrima. Cheguei a me entediar em alguns momentos e o que me fez chorar anos antes, agora me fazia rir. Pra quem chora com desenho animado, isso quer dizer muita coisa. Sorria ao perceber que aquelas páginas já tinham sido viradas, que eu já tinha respondido a muitas das perguntas que me torturavam à época em que li o livro. Precisei de um bom tempo pra adquirir a coragem de mudar, mas, depois que dei o primeiro passo, os outros foram acontecendo naturalmente. Como a autora, precisei de muita atitude, ajuda e compaixão.
Livro e filme fazem muito sucesso. Como eu, milhões de pessoas identificaram-se com a história, mas muitos ainda vão chorar com o filme. Acharão que aquela é uma realidade que não lhes pertence, coisa de cinema. Hoje eu sei que mudar é possível. Sair da zona da conforto para abandonar antigas estruturas, tem percalços, dificuldades, lágrimas, dúvidas; mas isso tudo é absolutamente NADA perto do prazer de recobrar a essência da própria vida. Não é por acaso que o funcionário do guarda-móveis onde a personagem deixa tudo o que é seu, antes da viagem que originou o livro, diz, diante do lamento de que toda a sua vida cabia em um pequeno depósito:
“Acredite, muitas pessoas jamais voltam pra pegar sua antiga vida de volta.”
Mudar não significa deixar de chorar. Pra mim, a cada dia aparecem novos desafios, desejos, a possibilidade de me acomodar. As questões que me aproximaram da autora, passaram! Em seu lugar, surgiram outras perguntas; mas surgiu, também, uma outra mulher e ela estava lá no cinema ontem, assistindo ao filme, muito orgulhosa de si. E feliz!

4 comentários:

Patricia Canarim disse...

texto maravilhoso!
Acredito que é preciso dar esses tempos. Há 1 ano decidi morar em Belo Horizonte, um pouco por questões profissionais e muito por questões pessoais. Confesso que sinto falta do Rio. E ainda não estou completamente integrada as terras mineiras, mas este ano foi fundamental para seguir adiante. E estabelecer novas metas. Viajar, coisa que amo, ainda faz parte do plano, em muito menor escala, mas me darei esse direito.

Parabéns por essas descobertas e desafios sem fim.

Dagui disse...

Nossa esse texto me fez suspirar!
Queria dizer que estou nesse estágio,mas ainda me falta muito...
Fico com a sua inspiração e valentia; assim espero um dia supirar por "jamais querer a antiga vida de volta"
Beijo com carinho!

Eliane disse...

Bom dia Querida Mônica! Ontem não comentei o seu texto e tenho certeza que nada é por acaso, pois sabia que o de hoje seria melhor ainda!
Lindíssimo texto! É verdade, não existe melhor companhia do que a nossa mesma! Admiro a sua coragem e sensibilidade de falar sobre si mesma como se fossem abertas as páginas de um livro, que no caso, é o livro da sua própria vida! Mostrando abertamente os seus medos, angústias e alegrias tb.
Fico feliz em saber que recobrou a essência de sua própria vida! Que está orgulhosa consigo e feliz!
Tenha um belíssimo dia querida! Beijos.
Eliane (www.corearte.com)

Gigi disse...

Ah, que delícia Mô! Agora é aproveitar boas noites de sonhos recheados de http://img2.timeinc.net/ew/dynamic/imgs/090202/Sexy/Javier-Bardem_l.jpg
Urrú!

Postar um comentário

Compartilhe o que você pensa sobre o que acabou de ler! Ficarei feliz em podermos "conversar" um pouco!

Web Statistics