sexta-feira, fevereiro 18, 2011

Amor para sempre?

De repente, sentiu-se com 15 anos. Lembrou-se do primeiro namorado. Das frases que copiava em seu diário descrevendo o amor. Uma delas, vinda dos cartões com que perdia horas nas papelarias, era particularmente inesquecível: “o amor nunca se acaba”. Várias vezes havia jurado que era para sempre e o mesmo número de vezes vira o fim “do amor que nunca se acaba”. A lembrança transformou suas lágrimas em sorriso. Naquela época, achava que amar era prometer que ficariam juntos para sempre, com o coração descompassado e as pernas bambas de emoção, trocando declarações e juras eternamente.
Tantos anos haviam se passado e ela continuava sem saber o que era o amor. A diferença era que agora podia senti-lo e ele não se parecia em nada com aquele que povoara seus sonhos de adolescente. Na Bíblia, que lera e relera na sua juventude, estava escrito: “No princípio, era o verbo...” É a descrição do amor. Não existe força mais milagrosa ou sentimento mais pleno do que esse que simplesmente é.
Olhou-se no espelho, entre as lágrimas, sorria. Lembrou-se de agradecer com muita reverência ao Amor Supremo, que chamava de Deus. Sabia que fora agraciada com o dom de amar, que havia sido cuidadosamente despertado. Não precisava de mais. Ou melhor, precisava aceitar e agradecer pelo presente que podia carregar consigo – agora, sim – para sempre!
Quanto ao homem, pouco lhe importava onde estava, o que fazia, se ficaria por perto ou não. Em seu íntimo, sentia que essa força também o transformava e que ele, a seu modo, também aprendera muito com ela sobre o amor. Ambos haviam se tornado guardiões dessa força cósmica, além de divulgadores ou multiplicadores. Não sei ao certo, mas, por onde andavam, emanavam essa energia que despertavam um no outro. “Acreditem, ele existe e é poderoso!” poderia ser uma frase comum – ainda que cliché - no discurso de ambos, se eles aceitassem...
A verdade, e eu digo isso porque, estando de fora, pude observá-los com imparcialidade. Nenhum deles compreendia, de fato, esse amar. Era como se, por inexplicável que fosse, o sentimento não fizesse sentido. Perdiam-se ao tentar racionalizar, explicar e compreender; essa energia que haviam despertado estava além disso tudo. Simplesmente era.

4 comentários:

Silvio Freire disse...

Quando é, todo mundo sabe...

Anônimo disse...

Lindo como sempre!Se não for para sempre não é amor!
Bjs querida!
Dirlene Ramires

Mônica disse...

Acho q nós sabemos muito pouco sobre essa força poderosa que é o amor! Obrigada, amigos, por estarem juntos de mim, pensando, sentindo, irradiando essa energia maravilhosa!

Valéria disse...

Este texto me fez lembrar um pensamento: "O verdadeiro amor não se reduz ao físico, ao romântico... O amor é a aceitação de tudo que o outro é... de tudo que o outro foi... do que será... do que já não é..."

Postar um comentário

Compartilhe o que você pensa sobre o que acabou de ler! Ficarei feliz em podermos "conversar" um pouco!

Web Statistics